Le jeudi, 20 septembre 2012
2:48


Vontade de mandar umas pessoas pro inferno.


Kaworu


Le lundi, 30 avril 2012
11:14


Carai, tá foda...


Kaworu


Le dimanche, 22 avril 2012
22:45


Como é difícil tratar de assunto muitos delicados, mas como é difícil também não tratá-los quando você já está no limite e precisa soltar aquilo. E como é estressante quando você se vê obrigado a tocar mil vezes no mesmo assunto delicado com alguém porque a outra parte parece fingir não ouvir nada. Eu tenho estado no meu limite, não apenas para esse caso específico, mas para vários. Acho que, por mais que eu me considere impaciente, ultimamente tenho sido bastante paciente em todos os aspectos da minha vida. Mas tem horas que é preciso agir de fato, doa ou não. E olha que dói. Me sinto péssimo nesse momento por mais que, racionalmente, eu saiba que não deveria estar assim. Mas ainda assim dói...


Kaworu


Le dimanche, 22 avril 2012
2:07


Apenas para não perder de vista os layouts anteriores: versão anterior.

É, decidi mudar tudo. Fui pro quase monocromático, fundo dark, sem perfil, sem passado. Sometimes it's good to change a little bit. ^^

E para quem achou que nunca aconteceria e depois de muitos alarmes falsos em versões anteriores desse blog sobrevivente, finalmente posso falar com certeza: irei ao Japão. Osaka, me aguarde! o/

A propósito, ontem assistindo a duas séries que adoro, me deparei com um tema já recorrente na minha vida: um casal, ambos com sonhos diferentes, cada um sentindo que encontrará seu destino em um lugar diferente do outro. No fim das contas, quando ambos querem ou precisam ir para algum lugar, fica parecendo que apenas a vontade de um deve prevalecer. Mas não acho que tenha que ser assim. Não acho que devemos desistir dos nossos sonhos para seguir alguém e muito menos fazer alguém desistir dos seus próprios para nos seguir. Isso só causaria remorsos futuros e um rompimento inevitável. Para mim, não é porque se está longe que tem que terminar tudo. Mas depende de cada casal. Uns não querem se prender a alguém que nem podem ver com frequênica e preferem viver suas vidas no lugar onde estão. É triste, fazer o que? Mas continuo achando que se se ama de verdade e se ainda há chances futuras de o casal ficar junto, então não devem terminar só pela necessidade de se estar em lugares diferentes. Cabe aos dois medir o amor de um pelo outro e ver até onde ele é possível.


Kaworu


Moi:

Raphael Kaworu
26 ans
Rio de Janeiro
Professeur de langue japonaise
Étudiant à la maîtrise en linguistique
Facebook: Raphael Kaworu


Le passé:

1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.1, 8.2, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 48, 49.1, 49.2, 50, 51, 52, 53, 54.1, 54.2, 55, 56, 57, 58, 59, 60, 61, 62, 63, 64, 65, 66a, 66b, 67, 68, 69


Les autres:

feeling good.


Merci pour:

Photobucket
Pitas
Tag-Board
Webs


Commentaires: